Corrida Maluca - Mais louco que Mad Max


Toda vez que anunciam Reboot de alguma coisa, um grupo de "nostálgicos" sempre torcem o nariz. Mas eu estive pensando se isso só não acontece quando a obra, que geralmente é feita para crianças, se torna mais adulta do que era antes. O meu questionamento é se aceitariam essa versão da Corrida Maluca, que não lembra em nada a versão de Hannah-Barbera.

Corrida Maluca, estrada da Fúria

Dick Vigarista, Peter Perfeito e Penelope Charmosa

Se situando em um mundo pós-holocausto, onde monstros mutantes imperam em um deserto, diversos corredores, convocados por uma voz conhecida apenas como "Locutora", disputam um lugar em um paraíso chamado de Utopia. Usando carros com inteligência artificial que lhes dão consciência, eles tem que sobreviver a cada estágio mais perigoso que o outro.

De todos os corredores, a trama gira em torno de Dick Vigarista e Mutley, que aqui virou um cachorro com partes mecânicas. A dupla compete porque prometeram que assim Dick poderia ressuscitar sua esposa e filho.

Junto com eles, a segunda personagem que mais tem destaque é a Penélope Charmosa, que matou seu padrasto violento e tentou fugir com sua mãe e irmã, sendo pega por um tsunami no holocausto.

A quadrilha de morte

Claro que os outros personagens do desenho estão presentes, mas com pouco destaque. Porém, alguns tem suas origens contadas em Flashback, como o Tio Tomáz e seu Urso Chorão, que aqui virou um homem que foi estraçalhado por um urso e foi reconstruído com partes do animal. A quadrilha de morte está bem mais sinistra, sendo um grupo de clones com consciência coletiva que fugiu de uma base secreta.

Como eu disse no começo do texto, todos eles foram "salvos" de um apocalipse pela Locutora, que ofereceu a oportunidade de irem para um lugar chamado de Utopia, caso ganhassem a corrida. Isso até descobrirem que tudo não passou de um plano do Professor Aéreo, que enganou todos eles, afim de derrotarem a tal Locutora, que foi responsável pelo Apocalipse.

E o fato dos carros terem I.A. não foi a toa, já que além das máquinas conversarem entre elas e com o seu piloto, e salvarem eles em alguns momentos, no final, todas se juntam e formam um robô gigante para enfrentarem a ameaça.

"O meu nome é Dick"


Eu não conseguia parar de ler, não pela história ser boa, apesar que ela era, mas por causa de tanta coisa grotesca na folha, como se eu não conseguisse desviar o olhar, mesmo me sentindo desconfortável (mesma lógica de olhar acidentes na estrada).

Se fosse para listar os pontos altos, gostaria de ressaltar o suspense, como quando Dick percebe que os monstros tem uma marca em comum, indicando conspiração. Se for para falar de algo negativo, falaria sobre a falta de profundidade em alguns personagens, sendo que uns tem suas origens contadas, enquanto outros mal são percebidos nas histórias, isso poderia ser resolvido com algumas edições a mais.

Enfim, voltando na questão do primeiro parágrafo, será que essa Corrida Maluca pegaria por ser mais hardcore (o que eu acho uma tremenda hipocrisia, já que adultos querem desenhos e se esquecem das crianças) ou também torceriam o nariz, porque não lembra em nada Corrida Maluca, a não ser nos nomes.

Comentários