A trilogia Sonic Advance - Quando a aventura voltou ao 2D

Compartilhar:

Você lembra de quando Sonic voltou aos jogos 2D? Isso aconteceu em 2001, na época em que a Sega deixou o ramo de consoles e decidiu liberar seus títulos para as outras empresas, inclusive, Sonic o Ouriço. Um pouco antes da Saga Adventure ter sido portada, Sonic ganhou seu primeiro título para um console portátil da Nintendo, o Sonic Advance, no (adivinha) Game Boy Advance.

Sempre joguei esse título no emulador, mas nunca havia tido uma avaliação mais crítica da trilogia, mas como sempre, tive que revisitar os jogos e ir o mais longe possível para trazer essa crítica para o blog.

O bom Filho à casa retorna (estou falando do 2D)


A trama não poderia ser mais simples, para não dizer clichê. Robotnick, ou Eggman se preferir, está novamente raptando animais para transformá-los em robôs. Mas Sonic, junto de Tails, Knuckles e Amy Rose, vão fazer de tudo para parar o vilão.



No segundo jogo, Eggman está de volta, capturando todos os animais, inclusive, os amigos do Sonic. Nesse jogo, surge a coelhinha Cream, que foi raptada junto de sua mãe, decidindo salvá-la, após Sonic dizer que tem que ir atrás de seus amigos antes. Aqui, você começa com Sonic, libertando os outros personagens conforme avança.


No terceiro jogo, o vilão separa o mundo em 7 partes, separando as Esmeraldas do Caos. Sonic e Tails são separados do resto de seus amigos, tendo que sair em busca deles e das esmeraldas. Aqui surge também o robô Gemerl, feito a partir de peças danificadas do robô Emerl, em Sonic Battle. Sonic Advance 3 implantou o sistema de duplas, parecido ao de Sonic 2, além de repetir o fato de você desbloquear os outros conforme avança.

Velha casa, nova roupagem


E por falar neles, eu consegui jogar com todos, sendo que meu preferido é o Tails, porque ele voa, facilitando o acesso a certos locais do estágio. Knuckles  e Sonic também são bons, principalmente knuckles, que plana e escala paredes, mas não tem a mesma praticidade da raposa de duas caldas. 

Amy foi a piorzinha, porque ela não tem a mesma agilidade do Sonic (nem sequer gira), nem a mesma praticidade do Tails, até mesmo ficando difícil em alguns momentos atacar com o martelo. Já Cream me surpreendeu, achei que ela seria igual Amy, mas ela mostrou ter as mesmas qualidades de Tails, além de demonstrar que se diverte durante os desafios.

Vale ou não a pena?


Sim, vale. Eu achei Sonic Advance aquele presente, igual ao Sonic Mania, já que na época em que o 3D imperava na franquia do ouriço, tivemos algo que remetia aos clássicos do Mega-Drive, porém, mantendo os elementos da fase moderna, além de dar importância de personagens coadjuvantes, que tiveram um destaque maior a partir do Adventure. 






Uma publicação compartilhada por Nerd & Cult (@nerdecult) em

Nenhum comentário