Vale ou não a pena: Tartarugas ninja - A próxima Mutação

Compartilhar:

Bem, Power Rangers e o fato deles serem uma adaptação e edição de uma série japonesa já está bem batido na Internet. Contudo, tokusatsu não foi a única coisa que foi readaptada pelo pai dos Rangers, e junto com alguns animes, uma franquia bem popular (pelo menos nos anos 80/90) também foi picota... quer dizer, adaptada pela mesma produtora (A Saban é isso né?), As Tartarugas Ninjas.

A próxima mutação


A série foi produzida entre 1997 e 1998 pela Saban Entertainer, responsável por 90% dos tokusatsu americanos da década de 90, e passou por terras brazucas no fim da década na Fox kids e Globo.

Na trama, um dragão interdimensional prende Splinter no mundo astral e mata um poderoso mago chinês. Então, sua discípula vai até Nova York atrás de Leonardo, Michelangelo, Donatello e Rafael para que a ajudem a enfrentar essa nova ameaça, mas para isso, eles tem que salvar o seu mestre primeiro.

Tudo indica que essa série se passa anos depois da trilogia dos anos 90, tanto que as fantasias são parecidas (mas feitas de um material diferente),  e o esgoto em que os protagonistas vivem são iguais.  Mas temos umas diferenças bem gritantes, como a falta de April O'Neil ou de Casey Jones, além de uma introdução de uma quinta tartaruga, dessa vez fêmea, que atiçam os hormônios dos 4 heróis. 

Tinha que ser a Saban de novo


Não vou dizer que descaracterizaram tudo, porque a comédia características dos personagens ainda está lá, e as personalidades são as mesmas, sendo Michelangelo é o brincalhão, Leonardo é o líder sério, Rafael é o rebelde e Donatello é o inventor e Splinter é o sábio. Mas algumas coisas foram mudadas, como eles serem passivos (ui) e não atacarem até serem forçados a lutarem, sendo que eles eram vigilantes em todas as versões anteriores. 

Algumas armas também mudaram, como Michelangelo tem tonfas ao invés de nunchakus, e Leonardo tem uma única espada (parecida com as chinesas) e não um par de katanas. O clã do pé é derrotado no terceiro episódio, sendo substituídos pelos dragões, liderados pelo Dragonlord (A Saban tem uma cisma com "lord", é Lord Zed, Grimlord), mas outros vilões são apresentados no decorrer da série.

Vale ou não a pena


Não vou dizer que odiei, na verdade, achei bem divertido com aquele humor bem pastelão,  sem contar que até curti algumas adições como a Vênus, que um trouxe um lado místico para a franquia e o Dragon Lord, que tinha um visual assustador, apesar de não passar a sensação de ameaça.

Mas muitos episódios são chatos, com vilões caricatos, tramas repetitivas, me fazendo pular episódios até achar um mais interessante, ou seja, só metade da série.

Enfim, é uma série bem infantil, ao mesmo estilo das temporadas antigas dos Power Rangers. Divertida em alguns momentos, mas repetitivo e maçante na metade do tempo.


Nenhum comentário