Vale ou não a pena - Kujira no Kora

Compartilhar:


Sabe quando você descobre uma obra que não sabe o que esperar? Bem isso descreve minha relação com Kujira no Kora, o novo anime da Netflix que nos traz uma história um tanto quanto filosófica.

Baseado em um mangá de Ubi Maeda, Kujira no Kora, ou Os Filhos das baleias, fala sobre um povo que vive na baleia de lama, uma embarcação feita de lama (ah vá) que navega sem rumo no mar  (literal) de areia. Esse povo é dividido entre os não marcados, ou pessoas comuns, e os marcados, que são capazes de controlar o Tímia, um tipo de energia mística. 

Eles nunca haviam tido contato com outros povos, até Chakuro, um garoto que tem como hobby escrever sobre acontecimentos da ilha (é praticamente um blogueiro), e Ouni, um toupeira (pessoas que ficaram por muito tempo na prisão) saem para explorar o mundo e acabam encontrando uma menina que não demonstra emoção alguma, a quem chamam de Lycos, por causa de uma escrita em suas roupas. Mas o que eles não sabem, é que junto com ela uma grande ameaça ao povo da baleia de lama surgirá, junto com segredos obscuros.

Vendo a sinopse que descrevi, parece que estamos falando de um anime onde um grupo de garotos partem em uma jornada, mas não é bem assim. Como eu disse no início, Kujira no Kora é anime muito filosófico, nos trazendo metáforas para a situação que vimos ou vivemos no decorrer da história humana, como colonização, já que outros povos quem entram em contato com as pessoas da Falaina (assim é chamada a baleia de lama) tentam tirar proveito deles, ou até mesmo eliminá-los por os considerarem criminosos. 


Isso tudo em um cenário lindo, parecido pintado a mão, com cores vivas e traços parecidos com os do estúdio Ghibli.  Tanto que quando começa a matança (sim, é um anime com cenas de violência), causa um contraste extremamente grande quando o cenário que transmite calmaria é manchado com sangue.

Mas nem tudo é perfeito, e ninguém aqui será lembrado por ser o melhor protagonista ou coadjuvante. Exceto Ouni, que rouba a cena em alguns momentos, todos os outros personagens são meio apagados. Sem contar que você não consegue sentir o peso dos acontecimentos.

Em suma, kujira no Kora é uma produção que encanta visualmente, mas peca na hora de desenvolver os personagens. Contudo, eu ainda aconselho você a assistir porque não só por ser um anime interpretativo, como tudo o que eu contei aqui é só a ponta do iceberg. Com certeza você vai querer descobrir porque os habitantes marcados da Falaina vivem menos do que as pessoas comuns, ou porque eram considerados criminosos, etc e tal. Então veja.

Nenhum comentário