Branca de Neve - Um filme muito nostálgico


Zapiando pelo Youtube, achei um filme que eu assistia demais quando era criança, na época em que Tela de Sucessos do SBT passava antes das 11 horas. Branca de Neve era um filme que deve ter passado desapercebido por muitos, principalmente que essa é apenas uma versão entre várias. Porém, para mim é nostálgico e especial, e eu não poderia deixar de falar das peculiaridades que o filme tem.

Para os desavisados, essa versão pode causar estranheza por começar em uma simples casa de campo, onde uma mulher espeta o dedo em uma rosa bem vermelha, e a partir disso, ela começa a imaginar uma criança com lábios assim. Logo em seguida ela dá a luz a um bebê com essas características (que todo mundo já conhece) e a chama de Branca de Neve.

Beleza, até aí não passa de uma adaptação, mas então começam as licenças poéticas. Depois da morte da mulher,  o pai sai com o bebê atrás de leite, só que o mais estranho nisso tudo, é que quando ele enterrou sua esposa, o tempo estava ensolarado, mas na cena seguinte já estava nevando, o que me fez pensar: "Quanto tempo ele ficou andando por aí?". Mas o negócio fica mais estranho quando ele encontra um gênio preso na neve, só que o ser é tão bizarro, mas tão bizarro, que me admira ele não ter saído correndo dali.

O cara que mais parece o Nefasto da ilha Ra-tim-bum, concede três desejos ao homem, sendo que o primeiro é obviamente o leite para sua filha. O segundo é lhe dar uma rainha e um reino (na verdade, o pedido era que sua esposa retornasse, mas o gênio não ressuscita os mortos). Para dar uma substituta, o gênio vai até a sua irmã e a transforma em uma bela mulher.


Tudo bem que ele só queria dar um vida feliz a irmã que era tão asquerosa quanto ele, mas não contou com a soberba dela, que a transformou na pessoa mais mau caráter que você pode imaginar (sério, a mulher é o demônio). E para piorar, o pai de Branca de Neve só se apaixonou por ela por causa de um feitiço. E o resto da história já dá para imaginar.

Claro que não podemos esquecer dos 7 anões. Mas ao invés de Atchim, Dunga, Zangado, etc,  eles são Segunda, Terça, Quarta e por aí vai. Além disso, eles vestem cores diferentes (igual aos Power Rangers) e juntos são capazes de formar um arco-íris e usá-lo como se fosse um teletransporte (oh meu Deus, são os Power Rangers). O mais engraçado é que o ator que faz o Quarta não é um anão, e sim o Vicent Schiavelli, aquele cara de "olhos tristes" que fez o vilão do filme Ghost - Do outro lado da vida (acho que acabaram os anões no teste de elenco).


E não tem como terminar esse texto sem falar de Branca de Neve, que é interpretada por ninguém menos que Kristin Kreuk. Caso você não lembre desse nome, talvez lembre da atriz que interpretou Lana Lang em Smallville durante anos (ou pelo Street Fighter: A Lenda de Chun-Li, mas creio que todos querem esquecer aquele filme). Só que aqui tacaram tanta maquiagem na moça para ela parecer branca (já que ela é um pouco mais morena), que a menina parecia que morreu antes mesmo de morder a maçã. 

Enfim, Branca de Neve é um filme que foi exibido a exaustão pelo SBT. Mas depois de adulto, não tive não como perceber todos essas bizarrices, inclusive, que o filme dá mais foco para a Rainha Má do que para própria Branca de Neve. Isso não é um problema tão grande, principalmente porque as duas são lindas demais, mesmo com a protagonista parecendo o Zé gotinha :p.


Comentários