5 coisas sobre Powerless - Uma série normal sobre super-heróis


Nos quadrinhos vemos como seria um mundo de super-heróis, com pessoas sendo protegidas por esses seres que mais parecem deuses entre homens. Contudo, também vemos as consequências de se viver em um mundo tão fantástico, onde cidades inteiras são destruídas em grandes batalhas.  Então, já se perguntou como seria viver em mundo assim? Essa é a premissa da série "Powerless"...

1 - O que é Powerless?


Essa série, criada por Ben Queen, tem como proposta mostrar o cotidiano da Wayne Security, uma subsidiara da Wayne Enterprises focada em artefatos de proteção a civis que ficam na linha de fogo dessas batalhas épicas de super-seres. A história se passa toda em Charmy City, mostrando Emily Locke (Vanessa Hudgens) como a nova chefe do setor de ninguém menos que Van Wayne (Alan Tudyk),  um primo distante (egoísta, mimado e imaturo) de Bruce Wayne.

2 - O primo distante de Bruce Wayne


E por falar nele, Vanderveer "Van" Wayne foi criado nos quadrinhos por Bill Finger e Sheldon Moldoff, em uma historia em que ele se vestia de Robin para impressionar Dick Grayson. Na série, ele também se veste de Robin para impressionar o Batman, quando dois empregados dele tentam atrair o Homem-Morcego por causa de um Batrangue encontrado.

3 - Heróis Classe C


Desde o início, a intenção não era mostrar diretamente os principais heróis da DC, como Batman e Superman, só citá-los. Mas isso não impediu que heróis "classe D" como Raposa Escarlate (Crimsom  Fox) aparecessem. Nos quadrinhos, ela era Vivian D'aramis e podia controlar feromônios, além de velocidade, agilidade e sentidos aguçados como de um animal. Na série, ela ganhou voô e super-força. .A personagem já apareceu em um episódio da Liga da Justiça Sem Limites, só que como figurante.


Além dela, também fizeram pontas o Olimpiano (que é uma versão masculina genérica da Mulher-Maravilha) e a heroína Fúria Verde, que é a mais conhecida do público (Fogo, a integrante Brasileira da LJA).

4 - Atores clássicos


Mas não foram só os heróis que apareceram na série. Marc McClure, que fez Jimmy Olsen em Superman de 1978, interpretou o pai de Emily no piloto e Adam West, o Batman do seriado de 1966, não só dublou a primeira intro como apareceu em um episódio. Tal episódio fez os produtores "descancelarem" a série como tributo a morte do ator. E por falar em cancelamento...

5 - Vida Curta


Powerless estreiou na NBC em Fevereiro de 2017, durando apenas nove episódios e sendo cancelada em maio. Isso ocorreu devido a queda brusca de audiência, registrando 3,08 de espectadores na estreia, mas tendo 2,08 espectadores já no segundo episodio. Essa queda gradativa causou a suspensão e posteriormente o cancelamento em 11 de Maio, antes de terminar a temporada.

Já era esperado pelo público quando o piloto exibido na San Diego Comic Con foi completamente refeito para a exibição na televisão. Particularmente, além de mim parece que ninguém se interessou em ver a produção. Todos (os dois) que eu perguntei sobre Powerless disseram que já havia visto alguma chamada, mas que não havia tido interesse algum. Aliás, até eu mesmo que não esperava nada, vi que os personagens são caricatos demais, as piadas são fracas e a protagonista é chata pra caramba, sem contar que eles nem usam as situações com heróis direito. Achei que eles mostrariam mais acontecimentos fantásticos com consequências nas pessoas comuns, e não um bando de nerds em um escritório falando do Superman, do Batman ou Atlântida, etc. Não vou dizer que odiei, porque achei alguns episódios legais, mas se comparar com as sitcom da atualidade, que conseguem fazer um humor mais natural, a série perde feio mesmo.

Enfim, Powerless é uma série que, como eu sempre digo, tinham uma boa formula, mas não souberam usar.


Imagens: NBC, TV Guide, Minha Série, Variety, Comic Book e DC Movies Wiki














Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...