Vamos falar sobre Superhuman Samurai Syber-Squad



Depois que o Saban adaptou os Super Sentai (e põe adaptar nisso, ele trouxe as cenas do original),  a concorrência não ficou para trás e outras empresas decidiram "criar" seus heróis que espancavam monstros emborrachados. Nessa brincadeira surgiu a adaptação de uma série "irmã" de Ultraman, Herói Cibernético Gridman.

É  Hora do Samurai - só que não



Intitulado Super Human Samurai (samurai aonde?), a série contava a história de uma banda de Rock de porão que combatia vírus de computador nas horas vagas (é sério). O personagem principal era Sam Collins, que foi sugado para dentro do PC e retorna com um "morfador". Mais tarde ele se une aos seus amigos Amp (o doido), Sydney (a gatinha estudiosa da turma) e Tanker (o atleta) e acaba sendo sugado novamente para o cyber-espaço, e desta vez ele se torna capaz de se transformar em "Servo" (não tinha um nome melhor para o herói principal?), que é um programa de video-game criado por Sam.


Sydney e Tunker
Sydney e Amp

Do lado do mal temos o colega de escola Anti-social da turma, Malcolm Frink (que parece que vai sair no braço com Tanker a qualquer momento). Ambos disputam pelo amor de Jennifer, que não tem nada a ver com as batalhas. 


Malcom

Malcom cria monstros que são transformados em Vírus de computador pela inteligência artificial conhecida como Kilokahn (ele tem a mesma voz do Saga de Gêmeos, mas parece que a voz ficou mais macabra nele do que no vilão de Saint Seiya).

Kilokahn


Gafes no mundo virtual




Diferente de alguns Tokusatsus americanizados, os planos dos vilões  são dignos de um bom malfeitor, como  prender os alunos na escola e aumentar o aquecedor computadorizado para matar (literalmente) todo mundo de calor ou transferir o dinheiro de todos para uma conta desconhecida e deixar o mundo em uma crise financeira.  Também tinha o tema que parecia de jogos antigos e a transformação de Sam que tinha que tocar a Guitarra para ir ao mundo virtual. Sim, era legal, mas tudo tem seus prós e contras, como o fato de Amp ser um doido varrido (mais ou menos igual ao Bucky e Skull dos Power Rangers) e depois ser revelado que ele é um Alien e voltou para seu planeta (@_@), para ser substituído por um surfista que veste um colete salva-vidas enquanto pilota uma das naves que ajuda Servo. A série em sí nunca teve um final definido, apenas um episódio em que Sam sonha que Malcolm descobre seu segredo e Servo enfrenta Kilokanh no mundo digital.


Super Human Samurai (que não tinha nenhum Samurai na história), foi um dos Tokusatsus que fez parte da Manchete nos anos 90 e provavelmente fez parte da infância de muita gente, igual fez da minha. Apesar de preferir os Tokus originais irei sempre lembrar de Servo  com um certo afeto, mas bem que poderiam usar um nome melhor, afinal,  não tinha um samurai na trama.


Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...