Vamos falar sobre Kaiketsu Lion Man



Quando se fala em tokusatsu, logo se pensa em heróis coloridos que invocam um robô gigante para lutar contra monstros que crescem após explodir. Tá certo, essa visão está restrita aos mais jovens, porque os mais velhos já lembram de heróis metálicos e guerreiros gigantes que lançam raios em forma de cruz. Mas o gênero vai muito além disso, tendo em seu catálogo produções de mistérios, policiais e dramas de época, como a desse artigo: O Kaiketsu Lion Maru .

A Obra


Exibido de 1972 a 1973, essa série não é totalmente desconhecida por aqui, mas teve um exibição bem "porca" comparado ao seu sucessor, o Funn Lion Maru. Lion Man Branco, como é conhecida, teve poucos episódios dublados e exibidos, confundindo os fãs que haviam acompanhado o Lion Man laranja (cada nome sugestivo), na Rede Manchete. Porém, na Itália , a série foi exibida no final dos anos 70, renomeada de "Ultralion"(o_o) e nos EUA, o primeiro episódio foi dublado e lançado por uma loja de brinquedos, dessa vez chamada de "Mágica do Ninja".

Na trama, o demônio Gosun voltou ao Japão e está espalhando o terror com o seu império de Kaijins e dokuroninjas. Prevendo sua chegada, um velho mestre ninja, kashin koji, dá ao seus três pupilos a missão de impedir Gosun. Shishimaru ganha a espada Kinsachi, que lhe dá o poder de se transformar em Lion Maru.


Saori (a ninja mais linda que eu já vi) ganha uma espada inútil que lhe dá mais força do qualquer homem, para poder ajudar na luta contra os soldadinhos rasos.


Kosuke, é o irmão mais novo de Saori, e o motivo da criação do conselho tutelar, porque não tem mais que uns 11 anos e vai pra porrada junto com Shishimaru. Ele ganha de seu mestre uma flauta que chama um cavalo alado, o HikariMaru.


Como toda história que se preze, Shishimaru encontra um rival na metade de sua jornada. Jonosouke é um guerreiro contratado por Gosun e é capaz de se transformar em Tiger Joe, através da espada Ginsachi. O cara é o estereótipo do anti-herói que no começo quer matar Lion Maru, mas depois muda de lado e começa a nutrir sentimentos por seu rival (não do jeito que está pensando, mas até que parece). Como de costume, ele consegue ser mais legal que o protagonista, tanto que a morte dele é um dos episódios mais tristes que tem.

Lion Maru é um Tokusatsu diferenciado por causa de seu estilo medieval e tramas que remetem ao drama de época, mas sem deixar os elementos tradicionais de Tokusatsu se perderem - exceto as faíscas, elas sim foram deixadas de lado.

Enfim


Lion Maru é excepcional, mas tem muitos defeitos, como a dublagem, que era horrível, tendo muitas falas que se repetiam (como um cd riscado), além do som que cortava do nada. Mas nada disso se compara a "ótima" tradução, como Gosun que virou Satan Goss (universo compartilhado com Jaspion?!), depois virou diabo Gosun (que não está tão errado assim) e depois, acabaram os episódios dublados (ainda bem, ninguém aguentava a versão brasileira da abertura). Olhando desse jeito, o herói que voa, apesar de ser um leão, as lutas mal coreografadas e os poderes que mudavam a cada episódio (no final, descobrimos que Lion Man é telecinético , e consegue lançar chamas contra o inimigo, coisas que teriam ajudado muito no decorrer dos capítulos) e os episódios cujo o nome te dão um baita spoiler, são os menores dos problemas.

Enfim, Kaiketsu Lion Maru é um tokusatsu guardado com carinho pelos fãs, e não é por nada, porque tem uma das melhores histórias contadas por algo do gênero, mesmo com tantos defeitos. Olhando o estilo único, eu fiquei pensando: "Como eles conseguiram estragar isso com aquela merda de Lion Maru G?!".

Essa musica dói nos ouvidos
A original era melhor

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...