Vamos falar sobre o Livro Monstros Gigantes



 "Ele é um carrasco, uma punição do universo pela arrogância humana. Ele é um Kaiju."

Já imaginou como seria o mundo depois do ataque de um Kaiju? Os  filmes mostram que após o herói acabar com o monstro, o mundo volta ao normal. Porém, pense em como fica uma região depois um bombardeio, um terremoto ou até mesmo um tsunami. Como a realidade nos mostrou, nada volta ao normal tão rapidamente e um monstro gigante não seria tão diferente, se não fosse pior. E se caso a as feras retornassem, como os enfrentaríamos? Com certeza nada seria mais o mesmo. Por isso, vou falar de um dos livros que abrangem o aparecimento desses Titãs em lugares comuns, sendo uma das obras mais interessantes que li na vida, intitulado apenas "Monstros Gigantes".


Monstros Brasileiros

Para começar, vale ressaltar que o livro é uma obra brasileira, escrito por várias pessoas, cada uma mostrando sua visão sobre o assunto em um conto, que nem sempre tem um final feliz. Todas as narrativas não tem ligação alguma, a não ser pelo tema de ataques de monstros e as consequências destes.

Os contos são separados por épocas, sendo a primeira:

- Passado:

Nos leva ao início da civilização, onde um grupo de xamãs defendem sua cidade contra a fúria de uma deusa com várias cabeças dentro de uma névoa ácida. O ponto alto desse conto é quando uma guerreira usa um feitiço para transportar sua mente para o corpo de uma serpente colossal, afim de enfrentar a entidade.

Nessa mesma coletânea, temos a historia de Irecê, uma índia com a capacidade de controlar um kaiju. Ela tem que usar suas habilidades para enfrentar uma raça de homens peixe que pretendem invadir a terra. Nesse conto, temos a presença de elementos da cultura brasileira, inclusive,  de duas figuras históricas: Dom Pedro II e Alberto Santos Dumont. Essa estória é da era Vitoriana, lembrando que "Passado"  dura até meados da Segunda Guerra Mundial.

-Presente

Como o próprio nome já diz, essa parte abrange até os nossos dias. Vemos lugares do nosso cotidiano serem arrasados, como São Paulo e Rio de Janeiro, onde uma garota que trabalha na praia tem que fugir, junto com o seu irmãozinho, de uma criatura que suga tudo que encontra pela frente. Também encontramos um cachorro que fará de tudo para ajudar seu dono a tomar a atitude correta com relação a sua vida conturbada, inclusive destruir a cidade. Uma amizade que surgiu com o despertar de uma fera e uma vida sem sentido. E um repórter que quer descobrir aonde foi parar seu herói de infância e como as pessoas aprenderam a prever ataques, entre muitos outros.

-Futuro

Pós-apocalíptico, é o que resume a ultima e mais dramática parte do livro. Temos um grupo de sobreviventes que tentam escapar de uma estação de metrô abandonada. Um misterioso café que em meio a uma cidade completamente destruída, continua de portas abertas. Um grupo de limpeza pós-ataques e a ultima esperança da humanidade já condenada.

Todas as épocas tem seus pontos altos, mas o "futuro" pode ser reconhecido pelas maiores reviravoltas do livro, sendo capaz de deixar qualquer leitor de boca aberta, e coração apertado.

 E por que ler esse livro?

Extremamente popular na fantasia, cada conto tem seu próprio tom, podendo ser comedia, aventura, suspense ou sobrenatural, capazes de te prender por muito tempo. Vários deles são  recheados de referências da cultura pop, como Ultraman, Power Rangers, H.P. Lovecraft e até o Xvideos.  "Monstros Gigantes"  traz as criaturas para o mais próximo possível da nossa realidade, nos dando uma ideia de como seria um encontro com um verdadeiro Kaiju, e como cada pessoa lidaria com a situação, que de acordo com o livro, pode ser o fim de tudo, ou quem sabe, um grande recomeço.


Contos


Darvarangá – Daniel Folador Rossi
Os Grandes Antigos estão de volta – Davi M. Gonzales
Teijuaçu contra Kaiju – Sid Castro
E eu me torno Morte – Daniel Russell Ribas
Memórias de Lisboa – Pedro Afonso
O monstro que habita o âmago – Cheile Silva
O melhor amigo – Barbara Soares
Sob o etna – Danilo Duarte
Spaycy – Edgard Refinetti
Coração Kaiju – Adriano Andrade
O som do metrô – Leandro Fonseca
Depois que eles partiram – Gilson Luis da Cunha
O Último Caçador Branco – Luiz Felipe Vasques
Rotina – Vitor Takayanagi de Oliveira
O último café – Bruno M. Alves
Fita 00371-D – Gabriel Guimarães








Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...